Comunicação por redes sociais para a segurança no trânsito

Estar nas redes sociais é muito mais do que simplesmente fazer publicações. Devemos nos atentar que do outro lado da tela existem pessoas reais, e elas querem ser atendidas. Hoje em dia, estar nas redes sociais, não é mais um diferencial, mas atender o seu público de maneira humana é. E como existem conceitos e técnicas sobre como combinar o uso destas ferramentas com a interação humana, neste post vamos ver como melhorar a comunicação por redes sociais para a segurança no trânsito.

As mídias sociais podem ser definidas como mídias participativas, pois permitem que os usuários disponham de canais de acesso direto às instituições com as quais se identificam ou necessitam. Com isto os usuários podem dar sugestões, fazer críticas, apresentar ideias, ajudar a criar e aperfeiçoar produtos ou serviços, criar laços e relações. Esta relação deve ser a essência do perfil, pois é através desta comunicação que você identifica as necessidades e a linguagem que seu público espera receber.

Se comunicar através das redes sociais se tornou tão essencial quanto respirar para algumas pessoas hoje em dia, e por isto muitas instituições focam neste ambiente para transmitir informações e conceitos para seus públicos.

A responsabilidade por esta interlocução deve ser dividida entre colaboradores, que participam das ações ou tenham domínio da informação que é divulgada promovendo uma comunicação direta com os usuários.

Muitas vezes as organizações acabam se preocupando mais com as funcionalidades e recursos técnicos que a rede social pode oferecer, porém o foco em uma comunicação assertiva é a chave para se ter um trabalho de sucesso. Para usar efetivamente estas ferramentas é preciso adaptar a cultura interna da instituição quanto à transparência e disposição para enfrentar os aspectos positivos e negativos do diálogo aberto e transparente junto a sociedade.

Nas redes sociais todos tem voz

É fundamental que as instituições que pretendem utilizar as redes sociais como recurso de comunicação estejam dispostas a encarar seus pontos fracos, dialogar com usuários, parceiros, e agir de verdade (e não apenas nas mensagens) a partir das críticas e sugestões que recebem.

É necessário compatibilizar a interlocução direta com o público aos processos internos. Isto envolve superar resistências, alimentar uma mentalidade colaborativa e sensível às demandas do público, e também disposição para aprender com os erros e acertos do dia a dia, que são consequências do relacionamento estabelecido com os usuários.

Estas justificativas se completam quando expressas em uma “via de mão dupla”, da qual ocorre dentro de um ambiente social, criando a comunicação e o relacionamento com o público. Desta forma é possível trabalhar a imagem das instituições, quando atacadas com famosos “Fake News”, divulgar informações reais e alcançar os públicos com os quais interage. Este posicionamento auxilia na superação de crises, e redução da difusão de boatos e inverdades.

redes sociais

Neste contexto, podemos ver o quanto as redes sociais são democráticas, já que grande parte da população tem acesso a elas. E desta forma, é importante possuir diferenciais para que estas pessoas tenham interesse de seguir você, seja pela estética das postagens, conteúdo, informação ou representação de determinada instituição. Porém o maior desafio é manter-se presente na vida das pessoas, e para isso é necessário fugir um pouco da comodidade de apenas postar o que nos interessa, mas trabalhar o conteúdo que está presente no cotidiano, a informação que as pessoas esperam e a interatividade que se propõe ao usuário.

Uma boa postagem com conteúdo relevante no momento certo pode percorrer o mundo em fração de segundos e isso pode te alavancar potencialmente, mas esteja preparado para receber mensagens e se comunicar o mais rápido possível, pois é isso que as pessoas esperam. Mostre-se presente e e demonstre apreço pelas considerações feitas pela pessoa que faz contato.  Lembre-se  que ela possui necessidades e espera ser correspondida por aquele contato. Neste momento se possível vá além e encontre a informação solicitada e responda o mais breve possível.

Na segurança no trânsito, podemos considerar a comunicação virtual nas redes sociais como uma excelente oportunidade para o órgão de trânsito. Elas oferecem acesso a públicos diversificados e muito abrangentes, composto por motoristas, motociclistas, pedestres, ciclistas e passageiros que utilizam o trânsito diariamente. 

No infográfico abaixo apresentamos a você os principais passos para melhorar seus resultados na comunicação por meio das redes sociais. Seguindo estas sugestões você poderá promover uma comunicação mais assertiva e contribuir para que mais vidas sejam preservadas no trânsito.

Infografico RS

O trânsito é feito de pessoas, e pessoas estão conectadas.

O mundo das redes sociais é muito amplo. Além de todo potencial que já vimos até aqui, elas também possuem recursos que nos ajudam a mensurar o alcance das postagens, identificar o horário que nossos seguidores estão conectadas, identificar o tipo de postagem gerou maior engajamento e o mais importante: nos conectam com pessoas, fazendo com que elas fiquem mais próximas para receberem e compartilharem as informações que pretendemos comunicar para a sociedade. Iniciativas de comunicação combinadas com estes recursos podem promover cidades mais sustentáveis e seguras.

Nosso objetivo neste post foi trazer a você alguns insights sobre como potencializar o uso das redes sociais na sua estratégia de comunicação para a segurança no trânsito. Como estas tecnologias estão em constante evolução, este é um processo muito dinâmico e que demanda aprendizado e testes contínuos. Se você possui alguma experiência positiva (ou negativa da qual tirou algum aprendizado), compartilhe conosco no fórum ou aqui nos comentários. Ficaremos muito felizes em aprender com o seu conhecimento e experiência também!

Até a próxima!

Gostou do texto? Compartilhe em suas redes sociais!

Não esqueça de deixar seu comentário abaixo. Vai ser muito bom poder conhecer a sua opinião sobre este tema!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *